Dietas

O Que é Dieta Paleolítica – Cardápio e Para Que Serve →【Guia Completo】

dieta paleolitica

A Dieta Paleolítica, também conhecida como Dieta Paleo, tornou-se popular na década de 1970 através do trabalho do gastroenterologista Walter L. Voegtlin, autor do livro “The Stone Age Diet: Based on in-depth Studies of Human Ecology and the Diet of Man” (Dieta Paleolítica: Baseado Em Estudos Aprofundados da Ecologia Humana e Dieta do Homem) que foi publicado em 1975.

O Que é Dieta Paleolítica?

A Dieta Paleo consiste no consumo dos mesmos alimentos do homem na era Paleolítica (idade da pedra). Nesse momento da evolução, a alimentação baseava-se em carne, peixe, frutos e vegetais, sem a existência de cereais, legumes e leguminosas, laticínios, sal e açúcar branco.

Mas, qual seria o embasamento para esse tipo de alimentação?

Os pontos da dieta paleolítica estão firmados nos princípios da medicina darwiniana, que parte da premissa que os seres humanos estão geneticamente adaptados para se alimentar como os ancestrais dessa época. Tanto é, que a Dieta Paleolítica, é uma das dietas mais saudáveis recomendadas pelos especialistas, pois baseia-se exclusivamente em alimentos não-industrializados.

Dessa forma nosso organismo é formado para se manter e desenvolver apenas com os alimentos que eram consumidos na idade da pedra. Os estudos que foram feitos sobre esse cardápio mais “raiz”, baseiam-se na compleição física do homem nessa época e no declínio da saúde humana com o advento da agricultura.

Enquanto apenas caçava e coletava, o homem era muito mais robusto, forte e com saúde mais regular. As evidências arqueológicas mostram que quando o homem passou a cultivar e consumir alimentos artificiais a saúde humana começou a declinar e, desde então, só tem piorado com o passar dos anos. Com isso, surgiram várias doenças que na “época da pedra” não existiam.

dieta paleo cardapio completo

Para Que Serve?

Algumas pessoas contestam essa dieta alegando que o ser humano evoluiu e, por isso, a alimentação também precisa evoluir, porém a existência de alergias a alguns tipos de alimentos prova que essa “evolução” ainda é bem desequilibrada.

Outro ponto levantando por quem contesta é o fato que ela indica o consumo de carne vermelha e alguns “ditos” especialistas dizem que essa carne está ligada a problemas cardiovasculares.

Porém pessoas que têm problemas cardiovasculares e comem carne, também consomem alimentos com muito sal, e abusam de carboidratos e açúcares, além de terem uma vida sedentária.

Esse conjunto de ações é que provoca os problemas e, não necessariamente, o consumo de carne vermelha. Infelizmente, esse tipo de “desinformação” passada por aí, acaba por confundir as pessoas e afastá-las da possibilidade de fazer uma dieta realmente saudável, como a dieta paleolítica .

Existem vários estudos com comprovações clínicas que mostram que essa dieta ajudou em mudanças positivas para a perda de peso, na regulação da pressão arterial e na quantidade de lipídios e colesterol no sangue.

Como Funciona

A inserção de produtos “raiz” como carne vermelha, frutos, vegetais e gorduras (as certas), menor consumo de alimentos industrializados e também legumes e leguminosas é a base da alimentação com a dieta paleolítica .

Quem adota essa dieta deve abrir mão do consumo de todo tipo de comida industrializada (que não existia nessa época) e partir para um cardápio o mais “root” (raiz) possível. No início pode ser uma tarefa difícil, mas nós seres humanos temos uma grande capacidade de nos adaptar rapidamente ás mudanças e fazer este tipo de dieta pode ser muito beneficio a médio e longo prazos, pois você deixará todos estes produtos industrializados e que possuem muitos ingredientes artificiais de lado.

No caso da dieta paleo, não pode nada de massas e nem carboidratos de fácil absorção. Quem gosta de queijos pode comer os queijos curados, leite fermentado e manteiga (não margarina). As carnes são completamente liberadas, bem como o consumo de vegetais e frutas.

dieta para emagrecer

Com essas opções o organismo se desintoxica e começa a promover a queima natural de gordura.

Um ponto interessante a se observar, é que não existem relatos de homens das cavernas que eram gordos, fazendo com que a Dieta Paleo ganhe ainda mais força.

Outro ponto importante é que é indicado aliar os exercícios físicos com ela, pois naquela época, na maior parte do tempo, os homens estavam se movimentando constantemente, pois precisavam caçar, pescar e ficar alerta para fugir de animais selvagens.

Assim, seja qual for a dieta que fizer, é muito importante se exercitar para ter resultados melhores e mais duradouros, pois como todos sabemos, não existe milagre quando falamos de emagrecimento de forma saudável.

Como Fazer

Muitas pessoas que fazem a dieta paleo também seguem o protocolo do jejum intermitente, uma prática que também já tem comprovação positiva para perder peso e também para ganho de massa muscular.

A união desses dois elementos é devido a divisão de horários para se alimentar como temos hoje, assim o homem das cavernas se alimentava apenas quando sentia fome, ficando muitas horas sem consumir nenhum tipo de comida. Este tipo de hábito facilita ainda mais na manutenção e perda de peso.

Na parte líquida da dieta, a única bebida aconselhada é a água, pois apenas com ela nosso organismo já fica hidratado da forma que precisa. Na verdade, todas as bebidas além da água foram “inventadas” pelo homem, sendo que a maioria delas é prejudicial a saúde, como as mais comuns que são o refrigerante, cerveja e sucos industrializados.

Claro que não precisa haver tanto radicalismo, desde que não haja consumo de açúcar branco e nenhum tipo de carboidrato de absorção rápida, é possível criar uma alimentação rica com os alimentos permitidos.

Cardápio Completo (Café / Almoço / Jantar)

livro de receitas paleo

Levando-se em conta que os alimentos industrializados estão fora desta dieta, a ida ao supermercado vai se resumir basicamente à seção de frutas, legumes e açougue.

Partindo do princípio que a alimentação é a base de animal+planta, montar cardápios ricos em sabor é muito mais fácil do que com outras dietas restritivas. Uma coisa interessante a se fazer também, é deixar os pratos coloridos, mesclando vários tipos de legumes na sua preparação. Quanto mais colorido for o prato, mais vitaminas e proteínas você irá consumir, o que vem a trazer mais saúde e vitalidade no seu dia a dia.

Vamos te passar uma sugestão de receita de cardápio paleo para o café da manhã, almoço e jantar para você poder começar este tipo de dieta. No final deste artigo, iremos falar um pouco sobre como você pode ter acesso a um sistema completo para você seguir essa dieta passo a passo. Fique comigo até o final!

Café da Manhã Paleo

A melhor sugestão de café da manhã dentro da dieta paleo é o famoso ovo + bacon, ou seja, os americanos são detentores do desjejum mais saudável.

Muita gente acredita que o bacon faz mal à saúde, porém a carne de porco é considerada mais saudável que a carne de frango, justamente porque possui mais concentração de gorduras boas. Assim, comer carne pela manhã (proteínas) dá mais disposição e energia para enfrentar as tarefas do dia.

Além da dupla bacon + ovo, é possível fazer almôndegas de carne ou comer uma bisteca de porco grelhada, sempre prezando pelo consumo de proteínas e não carboidratos, junto de gorduras boas.

Lembrando que esse consumo não pode ser acompanhado de pão (nem mesmo integral), apenas o ovo e o bacon com queijo curado ou ainda alguma verdura de sua preferência.

Dentro desse tipo de café da manhã paleo temos uma curiosidade: nas roças das regiões rurais do nordeste, os trabalhadores comem carne seca e farinha de mandioca antes de começar o dia, pois traz mais disposição e força para o trabalho braçal.

Almoço Paleo

Tendo carne e planta está liberado. Dessa forma, os grelhados de frango com salada e legumes, bisteca de porco cozida com salada verde temperada com limão e carne seca com abóbora cozida podem ser inclusos no cardápio.

A coxa de frango assada acompanhada de batata doce cozida ou abóbora, é um prato muito saboroso e é uma excelente opção que fica dentro das possibilidades da dieta paleolítica.

cardapio da dieta paleo

Para sobremesa, vale o consumo de frutas. Você pode cozinhar as frutas de vez em quando para quebrar a rotina. Maçã, pera e banana ficam muito saborosas se forem assadas ou cozidas. Experimente!

Bolos podem ser feitos com farinhas “amigas” da paleo, como as farinhas de coco e de amêndoas, mas lembre-se sempre que não pode ter a presença do açúcar refinado.

Jantar Paleo

Algumas pessoas não gostam de comer muito na hora do jantar, porém a diferença de consumir proteína à noite é muito gritante do que comer lanches com pão, por exemplo, pois o pão contém muitos carboidratos como a farinha de trigo ultra-processada, o que dificulta a absorção no organismo, fazendo com que se acumule muito mais gordura.

Um grelhado ou uma carne cozida (como um guisado) não pesa no estômago e faz super bem para a saúde.

Lembrando que é aconselhável fazer apenas um lanche bem leve se estiver próximo do horário de dormir. Procure sempre fazer seu último lanche do dia com antecedência mínima de 2 horas.
Ex.: Se você dorme, normalmente, as 23hs, procure se alimentar pela última vez por volta das 21hs.

Com isso, a absorção dos alimentos será feita em sua maioria antes de você ir dormir, facilitando o seu processo de emagrecimento e seu organismo também agradece. 🙂

dieta paleo antes e depois

Você sabia que quando alimentamos próximo de ir dormir, além de dificultar o processo de emagrecimento, o nosso organismo passa a noite toda trabalhando para poder processar os alimentos!? Com isso, você acorda muito mais cansado(a). Evite comer próximo da hora de deitar!

Se não gosta de comer carne à noite, substitua por uma salada verde, sempre temperada apenas com limão ou então legumes no vapor. O importante é não sentir fome para não causar ansiedade e mal estar.

Sopas e caldos são muito bem vindos para alimentação noturna, como exemplo, o caldo de carne com vegetais e a canja com cenoura (ao invés de arroz).

Dentro dos alimentos permitidos procure sempre consumir aquilo que você goste de comer para não consumir “forçadamente” apenas porque faz parte da dieta. Desta forma, você não sofrerá para fazer a dieta paleo e poderá até mesmo manter esta dieta para sempre em sua vida. Muitas pessoas tem feito isso e não se arrependem.

Alguns estudos neurológicos apontam as dietas como causadoras de depressão e ansiedade, simplesmente pelo fato de que as pessoas não gostam de criar cardápios e acabam caindo na monotonia, o que tira o prazer de se alimentar.

Considerações Finais

Qualquer tipo de mudança na alimentação resulta em mudanças no organismo. Assim, pessoas que possuem alergias e intolerâncias, precisam consultar seu médico de confiança antes de adotar um cardápio diferenciado no seu dia a dia.

É bom também ter em mente que fazer exercícios é primordial para o bom funcionamento do corpo, pois não basta apenas seguir os alimentos da dieta à risca. Caminhar, correr, nadar ou pedalar precisam fazer parte do seu dia a dia.

Sempre que começamos a nos alimentar de forma diferente podemos ter algum tipo de reação ou até mesmo um pequeno mal estar. No caso do corte de açúcar e farinha branca, os sintomas mais comuns são as tonturas e dores de cabeça. Mas se você seguir a dieta a risca, isso é normal e tende a passar após a primeira semana, pois é um processo de readaptação alimentar do seu corpo para/com a dieta paleo.

Isso acontecerá apenas nos primeiros dias (se ocorrer) somente até o organismo se acostumar com os novos alimentos. Portanto, não mude o cardápio novamente apenas por causa disso.

Sempre é importante contar com apoio quando fazemos uma dieta. Se você tem dificuldade com montagem de cardápios diários para manter a dieta paleo ou até mesmo acha isso chato de fazer, nós temos uma recomendação a lhe fazer.

Os Programas “Cardápio Feroz de 91 dias” e “Cardápio Feroz de 147 Dias” são baseados 100% na dieta paleolítica e foi elaborado pelo método bastante conhecido no Brasil chamado de Dieta Paleo do Senhor Tanquinho.

Para saber mais sobre esses cardápios paleo do Senhor Tanquinho, basta clicar no botão abaixo para ver nosso review completo desse método e entender como um cardápio completo para as 4 refeições do dia pode fazer com que seu corpo fique sempre saudável e livre do excesso de gordura.

Vamos lá! A dieta paleolítica pode ser a liberdade que você precisava para emagrecer e não passar fome, nem precisar comer comidas completamente sem graça! E, o melhor, sem ter que sofrer para fazer a dieta paleo.

dieta paleo alimentos permitidos

Gostou Desse Artigo? Compartilhe Esse Infográfico No Seu Site:

Agora é com você!

Beijinhos!

Referências bibliográficas:

The Beneficial Effects of a Paleolithic Diet on Type 2 Diabetes and Other Risk Factors for Cardiovascular Disease: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC2787021/

The “Paleo Diet” — Back to the Stone Age?: https://www.health.harvard.edu/diet-and-weight-loss/the-paleo-diet-back-to-the-stone-age

Duck S. Paleo diet: Health experts slam chef Pete Evans for pushing extreme views. Sunday Herald Sun. 7 December 2014. 

Konner M, Eaton SB. Paleolithic nutrition: Twenty-five years later. Nutrition in clinical practice: Official publication of the American Society for Parenteral and Enteral Nutrition 2010;25:594–602. 

Eaton SB, Eaton SB 3rd, Konner MJ. Paleolithic nutrition revisited: A twelve-year retrospective on its nature and implications. Eur J Cli Nutr 1997;51:207–16. 

Eaton SB, Konner M. Paleolithic nutrition. A consideration of its nature and current implications. New Engl J Med 1985;312:283–89. 

Kuipers RS, Luxwolda MF, Dijck-Brouwer DA, et al. Estimated macronutrient and fatty acid intakes from an East African Paleolithic diet. Br J Nutr 2010;104:1666–87.

Eaton SB, Konner MJ, Cordain L. Diet-dependent acid load, Paleolithic [corrected] nutrition, and evolutionary health promotion. Am J Clin Nutr 2010;91:295–97.

O’Keefe JH Jr, Cordain L. Cardiovascular disease resulting from a diet and lifestyle at odds with our Paleolithic genome: How to become a 21st-century hunter-gatherer. Mayo Clin Proc 2004;79:101–08.

Eaton SB, Eaton SB 3rd, Sinclair AJ, Cordain L, Mann NJ. Dietary intake of long-chain polyunsaturated fatty acids during the paleolithic. World Rev Nutr Diet 1998;83:12–23.

Audette RV, Gilchrist T. Neanderthin: Eat like a caveman to achieve a lean, strong, healthy body. 1st St Martin’s Press edn. New York: St Martin’s, 1999.

Lindeberg S. Paleolithic diets as a model for prevention and treatment of Western disease. Am J Hum Biol 2012;24:110–15.

Turner BL, Thompson AL. Beyond the Paleolithic prescription: Incorporating diversity and flexibility in the study of human diet evolution. Nutr Rev 2013;71:501–10.

Knight C. ‘Most people are simply not designed to eat pasta’: Evolutionary explanations for obesity in the low-carbohydrate diet movement. Public Underst Sci 2011;20:706–19.

Lindeberg S, Jonsson T, Granfeldt Y, et al. A Palaeolithic diet improves glucose tolerance more than a Mediterranean-like diet in individuals with ischaemic heart disease. Diabetologia 2007;50:1795–807.

Jönsson T, Granfeldt Y, Ahren B, et al. Beneficial effects of a Paleolithic diet on cardiovascular risk factors in type 2 diabetes: A randomized cross-over pilot study. Cardiovasc Diabetol 2009;8:35.

Osterdahl M, Kocturk T, Koochek A, Wandell PE. Effects of a short-term intervention with a paleolithic diet in healthy volunteers. Eur J Clin Nutr 2008;62:682–85.

Frassetto LA, Schloetter M, Mietus-Synder M, Morris RC Jr, Sebastian A. Metabolic and physiologic improvements from consuming a paleolithic, hunter-gatherer type diet. Eur J Clin Nutr 2009;63:947–55.

Jönsson T, Granfeldt Y, Lindeberg S, Hallberg AC. Subjective satiety and other experiences of a Paleolithic diet compared to a diabetes diet in patients with type 2 diabetes. Nutr J 2013;12:105.

Boers I, Muskiet FA, Berkelaar E, et al. Favourable effects of consuming a Palaeolithic-type diet on characteristics of the metabolic syndrome: A randomized controlled pilot-study. Lipids Health Dis 2014;13:160.

Whalen KA, McCullough M, Flanders WD, Hartman TJ, Judd S, Bostick RM. Paleolithic and Mediterranean diet pattern scores and risk of incident, sporadic colorectal adenomas. Am J Epidemiol 2014;180:1088–97.

Mellberg C, Sandberg S, Ryberg M, et al. Long-term effects of a Palaeolithic-type diet in obese postmenopausal women: A 2-year randomized trial. Eur J Clin Nutr 2014;68:350–57. 

Sumário
Data de Revisão
Item Revisado:
Dieta Paleolítica
Classificação
51star1star1star1star1star

Sobre o autor | Website

Sabrina Alves é co-fundadora do projeto Emagrecer Para Sempre. Criou este projeto para compartilhar suas experiências pessoais de como ter um corpo magro e mais saúde.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

5 Comentários

  1. pedro medeiros disse:

    agora sim com essas dicas fica mas facil entrar em forma, e sempre se manter focado no objetivo! Eu sempre faço dieta mas chega no meio eu desamino e fico desmotivado, mas esse ano vou mudar minha rotina completa e com dedicaçao vou conquistar o corpo perfeito!

  2. Mariana disse:

    Açúcar orgânico ou mascavo pode?

    • Emagrecer Para Sempre disse:

      Oi Mariana,
      Recomendo o adoçante Stévia ou Sucralose, pois são mais saudáveis e tem menor índice glicêmico. 😉

      Bjs! 🙂

  3. RENAN REPIZO COELHO disse:

    Sal pode na dieta paleo?